14/10/2019

Seu corpo, suas regras

Todo mundo já deve ter se deparado com a seguinte situação:

cenário: mesa de bar, casa de amigxs, break do trabalho ou happy hour;
personagens: mulheres, homens, simplesmente pessoas aleatórias e com suas vidas super interessantes e corpos perfeitamente dentro dos padrões. (talvez essa parte seja um pouco exagerada, mas é para dar ênfase ao contexto)
assunto: pessoas aleatórias, seus corpos perfeitamente dentro dos padrões e pessoas aleatórias com seus corpos ridiculamente fora do padrões; a conversa estica até personagens do convívio, passa por personagens conhecidos até que chega em personagens famosos.

O exemplo de hoje é ela, cantora, atriz, empresária, mãe, avó e uma mulher com mais do que apenas um corpo para oferecer a sociedade: Preta Maria.

O intuito desse post é apenas lhe perguntar o que é tão incomodo no corpo ou na vida alheia a ponto de se preocupar e dar tanta importância a coisas que não lhe interessam?
Precisamos ser sincero, se Preta Gil está gorda, magra, se fez cirurgias plásticas ou não; isso não interfere em absolutamente NADA de nosso cotidiano.



Vi e vejo diariamente muitos comentários e posicionamentos que são absurdos, simplesmente pelo fato de que não muda NADA na vida do ser que o fala. A frase da década é "meu corpo, minhas regras" mas ficou nisso. As pessoas ainda acham que tem local de fala e propriedade para apontar, reclamar ou sentir-se envergonhadas pelo corpo alheio.

No início desse texto falei sobre as pessoas com seus corpos perfeitamente dentro dos padrões e CLARO que é brincadeira, zoação ou não sei o que; as pessoas comuns, que estão nesses ambientes citados acima não tem, na maioria das vezes, condições psicológicas e financeiras de manter esses padrões estéticos. É idiota pensar que escrevo isso de pijamas, num quarto sem ar-condicionado na Zona Oeste do RJ e poderia estar gastando palavras falando de quem dorme de pijamas, num quarto quente, na Zona Oeste do RJ. É trocar seis por meia dúzia, é literalmente o sujo falando do mal lavado.

Sinto que no geral precisamos de uma boa dose de semancol, um espelho fixado na testa para que cada um se veja antes de falar do outro. Antes que eu possa falar de você, estarei me vendo.
Antes de apontar o dedo pro vizinho, observe se seu telhado não é de vidro, se sua grama é verdadeiramente mais verde ou se é simplesmente...tinta!

Estamos num tempo em que fingir perfeição tem ficado para trás, mas ao invés de ser algo bom, transformam isso num grande defeito. Quem não tem celulites? Estrias? Quem não tem uma pochete?
Não tô falando de Gracyanne, Maíra,  Karina e Ana Hickman.
To falando de você, sua irmã, sua mãe, minhas primas e eu.
Tô falando de olhar cada parte do seu corpo como única e agradecer a Deus por ter olhos para vê-las, mãos para tocá-las e vida para vivê-las.

Estou numa fase da vida em que não ligo tanto para o externo, meu interno me cobra muito e requer atenção demais para ficar em equilíbrio. Quem me ver correndo hoje, vai perceber que só quero um tempo sozinha, uma brisa no rosto e sentir a adrenalina no corpo.
Não corro atrás do shape perfeito, na barriga negativa e das pernas saradas pois isso não me nutre em nada hoje em dia; isso não me traz alegria, isso não me traz momentos bons, isso não me traz motivação.
Ponha metas de verdade em sua vida, tenha objetivos a cumprir, pessoas a fazer sorrir e uma vida para gerenciar. Quem sabe se ocupe e pare de dar palpite na vida alheia?

Falando nisso tudo, gravei um vídeo com os MELHORES piores comentários que li sobre o corpo de Preta Gil, aperte o Play e vem rir ou chorar comigo:


Por hoje é só, reflita e faça planos que beneficiem sua própria vida. Combinado?
A vida dos outros é dos outros e nada do que não é meu, me interessa


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quero saber sua opinião !